segunda-feira, 22 de junho de 2015

Resenha de "Java Jota", de Thiago Mourão

Java Jota é o protagonista de Thiago Mourão neste livro de mesmo nome, pela Editora Patuá, 92 páginas. Sua história: estou diante de um escritor em busca de uma musa ou de um jovem amante seduzido pela arte? Estas duas faces de Java Jota se entrelaçam no rumo deste personagem, fazem dele um homem que corre atrás do que lhe vai no coração: juntar na mesma vereda a realização pelo amor e a realização pela arte. Sua musa Rosa é a idealização desse desejo, sua paixão por ela é o cerne deste relato.

Para conquistá-la e também escrever suas páginas como escritor, Java Jota se entrega a uma rotina sem amarras, caminha, bebe, ouve histórias. Está solto por aí e Rosa povoa seus delírios, como ela será? A musa se transforma e materializa segundo a realidade que cerca o protagonista. Sendo assim, ela é perfeita.
  
Mas merecê-la já são outros quinhentos. Java Jota conseguirá seduzir a musa e trazê-la para seu sonho de viver como artista? Ele é de fato um criador que constrói mundos, seu coração se abre para as possibilidades da existência. Ele vive e a poesia é a sua ferramenta. Contudo, destruir também faz parte de seu talento. Espera por Rosa assim como espera pelo tempo de passar para a próxima fase.

Java Jota tem um livro para escrever, esta é a fase bem marcada. Mas o desejo da musa não se esgota no peito, ouso dizer que não se esgotará jamais, nem mesmo quando Java Jota se materializar na mente e no querer dos leitores.

Dizem que todo poeta tem direito a sua musa. Que existe uma prontinha na pista, do tamanho de cada poética. "Java Jota", o livro, é da mesma forma uma ode encomendada pelas musas do mundo. Que elas se envaideçam nos caminhos! Este livro de Thiago Mourão foi feito inteirinho para elas.
         
Publicada no CABANA DO LEITOR. Confira esta e outras resenhas em www.cabanadoleitor.com.br

Nenhum comentário:

 
;