sexta-feira, 16 de maio de 2014

Assuntando






"ela vive dentro de muitos livros,
como as heroínas das propagandas"

(imagem: http://www.go.senac.br/portal/noticia/1502-saiba-quais-sao-os-tres-assuntos-que-colegas-de-trabalho-devem-evitar.html)

Vem chegando o segundo semestre e com ele os temas do ano começam a tomar conta da imaginação, Copa do Mundo e eleição ameaçam monopolizar os diários de notícias, os telejornais e as rodas de conversa. Nós ficamos sem conseguir escapar, outro dia mesmo tive uma discussão ríspida a respeito dos candidatos a presidente, já no outro dia a discussão foi sobre a convocação da seleção brasileira.

Penso no leitor que tentará fugir da tsunami de informações atrás de certo alívio, vai ser difícil, por onde for, lá estará o grupinho comentando os lances de uma partida ou as novidades sobre as eleições. E os dois assuntos tendem a se misturar, vamos discutir política durante a Copa e vamos falar de Copa quando tratarmos de política.

A gente sofre por não querer se alienar e a salvação será o cronista, esta raça em extinção, que se apega a temas desimportantes com ares de quem conhece a vida. Um ou outro até vai falar de voto e futebol mas a grande maioria fará o impossível para que o leitor experimente uma reflexão diferente, os tais grandes temas serão só parte do cenário.

Teremos crônicas que serão verdadeiras pérolas, essas ocasiões são propícias às revelações, aos achados, descobrir uma intenção inesperada no meio de tanto falatório é tarefa mesmo de quem anda sempre procurando assunto. É a grande área do cronista, caminhamos por ela com fama de peladeiros, como se não nos importássemos com o gol. Mas, na verdade, quando menos se espera, olha que estamos lá, prontos para o lance que vai tirar o zero do placar.

Outro dia assisti ao belo "Ladrões de bicicleta", de Vittorio de Sica. É um filme em preto e branco de 1948, difícil de achar nestes tempos em que as locadoras sucumbiram ao poder da pirataria e do on demand. Quem gosta desses tesouros não conta mais com a colaboração do pessoal que alugava as novidades, eram eles que bancavam a receita das nossas queridas locadoras. Sem o seu precioso auxílio, as opções diminuem e achar os clássicos é cada vez mais difícil.

Falo do filme porque ele é para quem gosta de fugir do planeta, foi rodado na primeira metade do século passado, é preto e branco e a história é de uma aparente banalidade que espanta qualquer um: roubam a bicicleta de um sujeito e ele sai pela cidade de Roma à procura dela. A beleza do filme é aquela que todo cronista procura quando escreve, quando se olha mais de perto se percebe que não é uma história comum. O cenário é o pós-guerra italiano e os homens lotam as filas de desempregados querendo uma solução do governo como paliativo para a miséria que bate à porta. Antonio Ricci consegue um valioso emprego e para trabalhar precisa mais do que nunca de sua bicicleta. Já no primeiro dia ela é roubada e por aí a história vai. É comovente, é um filme que brilha e que não tem pudor de assumir a tristeza como assunto. Os desempregados eram a parte que a Itália preferia esconder enquanto tentava sair da penúria depois da guerra.

Eu pergunto: que assuntos se escondem sob a sombra larga da Copa do Mundo? Em breve o futebol tomará o lugar de nossos problemas, que serão por algum tempo saber se fulano joga ou não joga, se foi falta ou pênalti. E sobre o quê vamos falar depois, durante as duras eleições que se aproximam? "Ladrões de bicicleta" fica levinho, levinho, feito uma crônica.

Aquele leitor mais apaixonado, que se entrega aos temas da ocasião, está certamente me reprovando enquanto lê. Pareço mesmo o cara que em pleno Carnaval diz não gostar de Carnaval, pareço o cara que não gosta de samba, futebol, mulata e caipirinha. Mas eu penso é em nossa vocação para o exagero e faço a minha propaganda: durantes esses eventos, se cansar dos assuntos, espero que haja um bom cronista de plantão. Vou precisar.

Publicada na RUBEM - Revista da crônica. Confira esta e outras crônicas em http://rubem.wordpress.com/ 

Nenhum comentário:

 
;