segunda-feira, 9 de setembro de 2013

As vozes que excluímos












A Professora Dra. Regina Dalcastagnè, titular de literatura brasileira da Universidade de Brasília, tratou de tema relevante no artigo EM UM SÓ TOM, publicado hoje no Segundo Caderno do jornal O Globo: segundo ela e sua pesquisa, falta aos romances brasileiros uma diversidade maior que comporte narrativas excluídas dos processos criativos tradicionais. Assim sendo, não surgem nas páginas dos nossos romances, ou surgem muito pouco!, as vozes de personagens que em geral não têm vez no corpo social de nosso país: as mulheres, os negros, os pobres. Suas palavras são respaldadas por um amplo estudo que analisou 258 obras publicadas entre 1990 e 2004. No link abaixo se acessa toda a pesquisa.

Nenhum comentário:

 
;