domingo, 10 de março de 2013

Trecho de "O arco e a lira", de Octavio Paz



"A linguagem tende espontaneamente a cristalizar-se em metáforas. Todos os dias as palavras se entrechocam e soltam faíscas metálicas ou formam pares fosforescentes. O céu verbal se povoa incessantemente de novos astros. Todos os dias afloram à superfície do idioma palavras e frases ainda exalando umidade e silêncio pelas frias escamas. No mesmo instante outras desaparecem. De repente, o sertão de um idioma exaurido se cobre de súbitas flores verbais."

Nenhum comentário:

 
;