terça-feira, 19 de março de 2013

"Fogo-fátuo", de Paulo Henriques Britto

FOGO-FÁTUO

Nenhuma solução se oferta
onde problema não havia.
(Cada porta estava aberta
e cada sala vazia.)

E no entanto a consciência
buscava alguma resposta.
(Estava cheia a despensa
e a mesa estava posta.)

Como livrar-se do estigma
de se saber terminável?
(A inexistência do enigma
é uma ausência insuportável.)

Do livro FORMAS DO NADA, da Cia das Letras

Nenhum comentário:

 
;