sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O velho senhor teve uma outra vida entre sandubas de carne e copos de vinho!

Enquanto sonha com cerveja,
sua um gosto por sucos e disciplina.

Rendeu-se à ordem:
magreza é o corpo são.
Os anos bons.

Essa batalha vive
durante o café,
o almoço e a janta;
sobre o selim da bicicleta
idolatrada
que condensa seus vapores
e faz a mágica.

É contra as leis que anunciam o gostoso:
as minhas calorias.
Diz que elas não o vêem dançar,
ou sorrir com a vitamina.

Eu vi uma criança fofinha
e pensei numa vida pra ela:
um dia inteiro de nado,
que história mais bela!

As correntes de ar,
porque não as ensinam pra nós? - pergunta.
e não come biscoito.

Devolve para o mundo
essa estranha gentileza,
escreve na rede sobre bom gosto!
está a caminho do fim
como qualquer um

mas a estrada é longa... - provoca

As frutas povoam seu norte,
umas folhas no estômago duram horas

Sei que deve acreditar em si mesmo,
as pragas que remeto aos céus
fazem as caçulas corarem.

Quero briga com ele,
quero brigar no momento.
Chamo o desgraçado pelo nome
e meu telefone estampa o tempo:
gostava dos ponteiros do meu relógio.

Nenhum comentário:

 
;