terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Eu transito, tu transitas...

O onibus avança pela rua estreita no horário previsto. O motorista não quer decepcionar e estaciona diante da placa que indica o ponto. Atrás de mim, outras pessoas aguardam a sua vez de passar a roleta. Como prefiro adiantar o serviço, já trago a grana certa da passagem. Gastar tempo com o troco não é a minha. Muitos assentos estão ocupados, mas arranjo um lugarzinho no corredor. A viagem prossegue calmamente.

É claro que essa é uma viagem ideal, em que não sofremos nenhum revés da sorte. Normalmente, as atribulações são muitas e desafiam a nossa paciência. Se nossos governantes se esforçassem um pouco mais para melhorar a qualidade da frota, poderíamos até considerar a hipótese de vivenciar uma experiência como essa. Por enquanto, é utopia.

Outro dia, enquanto examinava do ônibus os carros na rua, notei que a maior parte deles trafegava vazia. Uma pessoa só em cada carro, é óbvio que a maioria prefere o ar condicionado, uma musiquinha. Tudo pela tranquilidade. Adiar o momento em que enfrentaremos os pepinos do dia é essencial. Eu gosto do dia em que esse momento é aquele em que sento diante do computador pronto para o trabalho.

De vez em quando, lembro dos anos passados: havia menos carros, o metrô era uma agradável surpresa. O que aconteceu? Assistimos ao descaso. Temos que nos contentar hoje com soluções paliativas como o famigerado rodízio de placas. Ou ir para o serviço de bicicleta, o que exigiria vestiários. Outra que já ouvi é se juntar com os colegas de trabalho, encher os carros de passageiros parceiros. Também vale.

Talvez a solução pertença aos nossos filhos, idéia que não me agrada nada. Queria poder trazer do futuro aquela historínha que contei. Por enquanto, o dia começa quando espero o ônibus que não chega. Haja paciência!

2 comentários:

Bruno Moreira Lima disse...

Pois é Marcão... Essas sugestões de "Fantástico" é que matam... Os donos do capital fazem a caca e nós é que temos que nos adaptar a ela... Hehehehe Mas, vai-se indo... Vai-se indo... Hehehehe Grande abraço!

Marco Antonio Martire disse...

Pois é, você, mais do que ninguém, sabe do estou falando. E as barcas que aumentaram o preço? Cadê o serviço? Eu não uso mas só ouço falar mal. Descaso!

 
;