segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Mais um verão

Cuida do que a vida quer
de trás e
do que tem pela frente a mulher

não há elogios com a aurora.
venha a dor
ou chegue o sol
não pôs pegadas no sono.
só as páginas amarelas
e uns beijos indecentes

Antena de passados,
importâncias
pergunta:
onde se vai quando as cores são imaginadas
e o dia cru não se compraz com doces?

se torna um desafio enorme
encontrar estradas depois que a porta aberta
desliga o que brilha em casa

Cheira aromas e passarinhos,
as fotos consigo e o ninho.
mágoas e lágrimas se despedem
guardadas com o pêlo

A música é uma estação nova
e convida,
arco de pontas perenes,
ao prêmio e às ligas.

Quer passos,
uns bem-vindos

Mas o tempo se transforma.
os braços se agitam em desacordo.
o zelo põe mantas sobre seus pés.

telhados molhados escorregam com a chuva
ela dança a música no céu

Nenhum comentário:

 
;