domingo, 4 de dezembro de 2011

Caminhando


Soma um dia no calendário;
levanta que teus olhos criam
sobrancelhas cerrados.

Estamos juntos, amigo.
Faz um tempo que não quer lembrar
as coxas adormeciam no carrinho,
unidas em procissão escandalosa.
agora seus bracinhos se balançam
topam o movimento
pra cima, pra baixo.

Quero ouvir a tua voz
e coordenada e suave,
provocadora, um comichão.

Teu grito é uma sova no meu coração
e os meus passos
brandos como os teus
bailarinas pra dançar.

Damos voltas juntos,
toca o que é teu;
belisca cada pedacinho de família,
deliro.

Certa vez, delirando, encontrarás a porta
e será o anúncio de sonhos, dias.
Teu corpo girando
preciso de necessidade.
Meu corpo também, na boca.

Dá-me as mãos, caminhante,
hoje o teu destino me entrega.
Ergo suas fomes,
o peito e a coberta.

Enquanto beijo teus pés
apertam-me as horas contigo.

Nenhum comentário:

 
;