segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Beijo

Abro-te a boca
com pensamento
estranho ar que se move
o pescoço adentro;

Mexem suas águas
vibrando meus olhos semi-abertos
na gelada brisa;

Arranca meu bem-estar
poderosa disciplina
que não se ensina;

Tenho suas mãos
carne dos vinte que se foi
está perene? a pele;

Abrigo seus ombros
e o sorriso que voa
no seio da orelha;

Seu destino é perdurar
na minha memória
que se esvai, esvai;

Estamos perdidos
nosso momento futuroso
caminhou pro esquecimento;

A chuva restou
que lambe nossos lábios
nosso presente ingrato.

Nenhum comentário:

 
;