terça-feira, 28 de setembro de 2010

Ganhar-te

Acordei assim:
ventilo os males
dos caprichos cultivados
desde que te conheci.

Ainda que o colo
imite as flores
e teu sorriso dentes,
quero me cobrir de dengos
eu que deles preciso.

Não me entenda mal
estrela tão luz,
sou sem juízo
e você a mesma.
Surge suspeito o dolorido
mestre dos artifícios
medo de perder-te.

Nem que eu lembre dos bolinhos
petisco com chope dos amigos
a vida com sol da sociedade
debaixo das luzes da cidade.

Hoje eu acordei assim:
você com as flores
me deu bom dia.
Tolo outra vez?
O medo de te perder.

É o fim do meu dia.

Nenhum comentário:

 
;