sábado, 28 de agosto de 2010

Pela rede

Mais uma vez
o email entregue:
a idéia de um beijo
vindo pela rede
a câmera na tela.

Adoro-te
e queria-me fora da contemplação
a tarefa suja.

Como o fazer perpetuamente
sem sua companhia?

Queria o beijo
sem nexo de nossas bocas.
Não há matemática nisso
nem fios ou cabos.

Pela rede lancei meus braços,
dígitos táteis.
Que eu desejava seu beijo
permanente.

Jaz em algum lugar
a carta que te mandaria,
o telefonema em que eu diria.
Agora o faço,
ponho ao meu lado o link sagrado.

Nenhum comentário:

 
;