sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tempo e alegria

Carrego a memória
do teu jeito comigo;
tua destreza, teu encorpado
salão de sentidos alertas
em busca de minha alegria;
eu te beijei com ela!,
que permanece peremptória
no ocaso do abraço.
A memória dela me aproxima,
traz-me ao terreno febril
de suas fantasias;
permaneço exposto,
visível, e você vem brincar comigo,
elevar a paixão àquele beijo.
Sempre me detenho então e
com isso estranho:
Quem é você, senhora da minha alegria?
Vai por onde anda a multidão
que eu te reconhecerei por nome.
Por rosto, por voz. Por dentro.
Estarei contigo assim,
em passado e presente.
E futuro.

Nenhum comentário:

 
;