quinta-feira, 22 de julho de 2010

Meu mar

Hoje o mar por acaso
me olharia apaziguado
no aguardo de suas fileiras,
seu rugir de ondas concentradas
na feitura deste dia.
Se olho fico contente,
o meu mar admirado!,
sua beleza concedida
por natureza
à dona do sussurro:
mas que mar!
Como um tratado de boas maneiras
prossegue adivinhando pensamentos,
derramando na praia
a paz de todos na areia,
enquanto uns surfam,
outros nadam
e noutros ainda a alegria
de acompanhar tudo.
Segue na terra
o bem-dizer de suas águas.
Que bom vê-lo límpido.
Amante líquida de espuma branca.

Nenhum comentário:

 
;