terça-feira, 12 de maio de 2009

Descontrole

Se alguma vez te perdi
foi descontrole meu,
que sumiu e uma sorte
danada me faz feliz,
desde hoje, se me lembro
do dia de mão dada
que tremeu meu futuro.
Tinha aromas de mulher
incrível, sonho interminável,
concluído, impossível se alterado,
letrado em pausa almejada
e poses mil dedicadas.
Será a mulher que quiser,
feliz na cama
em que se erguerá,
(você é quem sabe!) onde
teu sono é perfeito.

Nenhum comentário:

 
;